Ensaio: Bione

A MC e poeta Bione foi fotografada por Priscilla Buhr na edição #14 da revista Outros Críticos, de tema “contraimagem”.

Além do ensaio, vocês também podem conferir a mixtape “Sai da Frente”, de Bione, lançada em 2019. Com quatro faixas, traz a produção artística da Aqualtune e musical do beatmaker Rodrigues 997. O projeto gráfico é do artistia Amokachi (Traço Vasto).

Letras – Bione (2019)

Julgaram demais isso tudo, eu sei
por causa das verdades que eu falei
meus súditos querem pagar de rei
meus últimos focos, eu alcancei
se no início

eu não desisti
pra quê que tenho que parar aqui?
o teu bonde me ouviu
e nunca me impediu
porque agora vão conseguir?

e quando eu digo sai da frente
eu não tô brincando
tem que me gratificar
porque eu tô avisando
não foi fácil ver gente
me subestimando
hoje eu ouço deles
que foi um engano

e vocês se enganam
mas eu não me engano
eu sempre soube o que eu quero
então sigo o plano
eu posso tudo, então escuta
o que eu tô contando
se ligasse pra julgamento
eu nem tava cantando

eles tão me chamando
elas tão me amando
a vontade de crescer
tá aumentando
o objetivo é subir
então tô trabalhando
pra quem quer me ver cair
eu não tô nem ligando

vocês querem mais
eu tenho sempre mais
não existe concorrência
a competência
vale mais
sai da frente, sai
sai da frente, sai
vivo em busca do topo
e o pouco nunca me atrai (2×)

Eles vão rir do meu sotaque
mas não podem falar mal da letra
e sabem que eu sou destaque
poeta, nordestina e preta
e se mexer é treta
então vê se me respeita
se eu vivesse de opinião
minhas rimas nem saiam
da minha gaveta

Com a força de mainha
com a autoestima de Deia
isso é conquista minha
sem muita onomatopeia
sem desperdiçar uma linha
cativando a plateia
pensaram que eu nem vinha
tô aqui com minha ideia

Fazendo história, tipo Felipe no Boxe
criando rima tipo cardi b em press
eu tô cheia de mensagem no inbox
podem me chamar de girl of business
girl, girl, gril of business
podem me chamar de girl of business

vocês querem mais
eu tenho sempre mais
não existe concorrência
a competência
vale mais
sai da frente, sai
sai da frente, sai
vivo em busca do topo
e o pouco nunca me atrai (2×)

Dizem que sou fraca
e sabem que eu sou
mais forte que eles
quiseram me amedrontar
só que hoje eu sou
o maior medo deles
os racistas que me julgaram
tô eu e meu bonde
pondo fogo neles
e o que eles tentam há anos
eu ultrapasso
em alguns meses

Vem pra cima que eu derrubo
o maior desafio eu aguento
eu trabalho e não me iludo
vocês são perca de tempo
o que eu tenho se chama talento
e as minhas manas só vão me inspirar
então sai do caminho das minas
deixa, deixa as garota brincar

deixa que deixa as garotas brincar (8x)

tô lá em cima
sem levantar voz
nessa maratona eu lidero o placar
o "sexo frágil"
sempre foi feroz
a brilho é delas
nem vem se chegar
no jogo da vida
machista é algoz
e pano pra ele
elas não vão passar
no jogo da vida, agora é nós por nós
e pano pra macho
elas não vão passar

E o playboy que me detesta
agora vai viver cantando meus hits
vai me pedir pra tocar na sua festa
dando uma de estrela, com a minha equipe
chama que chama o Rodrigues no beat
eu tô no mic, vão ter que aguentar
bota que bota as meninas na roda
deixa que deixa as garotas brincar

deixa que deixa as garotas brincar (8x)

Não quero que você
se esqueça
nem que o machismo
te enlouqueça
e se ficar louco
elas corta a cabeça
o topo é nosso
então desça
tô te dando muita moral
e na real
talvez tu nem mereça...
Andando pelas ruas do bairro, eu penso
que não se atravessa a vida
sem nenhum problema
e por onde eu passo, eu entendo
que sempre existiu nessa vida
quem teve problema
quando eu penso, eu reparo
que a ideia de quem se foi
nunca morre
tem consequências...
é aquilo, né
cada um com seu corre

Atingindo corações
sem os flows decorações
o que eram opiniões
se tornaram meros bordões

Uns seguem matando leões
outros usam suas munições
uns acumulando lições
outros vivem só por milhões

Tô estudando pra subir antes dos vinte, pô
vou dar uma casa pra mainha antes dos vinte, pô
contar malote com minha mina antes dos vinte, pô
salvando vidas com minha rima antes dos vinte, pô
é quase que obrigação, nunca foi de favor
tô fazendo os corres do rap com todo vapor
perguntam se eu tô sonhando, e talvez eu tô
mas é tipo um objetivo
tá ligado, pô?

Tirando onda e tirando do tédio
a vontade de crescer é que nos une
brilhando no ensino médio
e avisa a Lenne
que eu vou dar um prédio pra Aqualtune
Lenne
eu vou dar um prédio pra Aqualtune
produtora que depende das pretas que tão no corre
e de inveja
a aqualtune tá imune
ah... a aqualtune tá imune

Quero contar história e contar nota
não bato continência pra hipócrita
reproduzindo discurso idiota
tipo esse governo que é uma chacota
se quer rap bom, então brota
eu faço chover na minha horta
o bonde que me cortava, se corta
faço melhor que um mói na maciota

Há quem diga que eu tô seguindo moda
ideia como essa não me detém
não sigo moda, eu faço a moda
e que outras minas
comecem a cantar também
vem, vem, vem
que aqui tem
quem quer ir mais além, não esquece
subindo sem ter degrau
e passando por cima só de quem merece

Tô estudando pra subir antes dos vinte, pô
vou dar uma casa pra mainha antes dos vinte, pô
contar malote com minha mina antes dos vinte, pô
salvando vidas com minha rima antes dos vinte, pô
é quase que obrigação, nunca foi de favor
tô fazendo os corres do rap com todo vapor
perguntam se eu tô sonhando, e talvez eu tô
mas é tipo um objetivo
tá ligado, pô?
Baby, escuta o que eu vou te dizer
pra não esquecer
não quero que esse som seja só clichê
mas parece ser
te quero na equipe da minha turnê
tem que fazer valer
pra conquistar o mundo só basta querer
e eu quero você

Me pede pra eu parar
que eu paro
assalto sem mão armada
sem disparo
você é única
eu nem comparo
e cada detalhe teu
eu reparo

Nem me deu currículo
e eu te dou trabalho
e é bem notável
que tu tá gostando
tu sempre soube que
eu nunca falho
era só com a gente
que eu andava falhando

Mas não falho mais
pois eu te quero perto
sem corrente ou amarra
te conheci livre
pra quê estar presa?
tu é minha casa
sem porta trancada
sem posse, sem danos
sem muitas mancadas
os corres são loucos
missões arriscadas
mesmo com alguns males
eu tô confortada
e depois do amor
minha pele marcada.

Tá na cara que eu te amo demais
habitat mais do que natural
assim sabemos que somos reais
ideia sem tu, nunca foi ideal (2×)

A mente cheia das nossas lembranças
saudade fica, depois do "até logo"
o nosso mal sempre foi a distância
por isso, meu bem
que eu quero voltar logo

Tu sabe que eu volto
que isso é profundo
bom que eu te noto
por cada segundo
eu broto e boto
por isso te inundo
tu tem meu voto
pra melhor do mundo

Fã número único
fã número único
única...
fã número único!

Tá na cara que eu te amo demais
habitat mais do que natural
assim sabemos que somos reais
ideia sem tu, nunca foi ideal (2×)


Ensaio originalmente publicado na edição 14 da revista Outros Críticos. Baixe gratuitamente:

Categorias

Priscilla Buhr Escrito por:

Fotógrafa, aquariana, feminista e mãe de Artur. Não necessariamente nessa desordem. Uma mulher que se olha no espelho, sem salva-vidas.

seja o primeiro a comentar

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.