Tag: hugo linns

26 de dezembro de 2016 /

Como um trator Bootleg’16 – Outros Críticos Faça o download aqui A coletânea é organizada através de uma chamada aberta realizada no final de cada ano no site Outros Críticos. Em sua 8ª edição, a Bootleg inclui faixas extras, takes alternativos, gravações caseiras, ao vivo etc. Como um trator – Bootleg’16 by Outros Críticos Curadoria: Carlos Gomes Projeto gráfico: Fernanda Maia Realização: Outros Críticos

28 de dezembro de 2015 /

Bootleg’15 – Outros Críticos Faça o download aqui. A coletânea é organizada através de uma chamada realizada no final de cada ano. Em sua 7ª edição, a Bootleg inclui faixas extras, takes alternativos, gravações caseiras etc. Nesta edição, faixas extras, versões alternativas e gravações inéditas dos pernambucanos Sofia Freire, Stela Campos, Hugo Linns, Publius e do grupo Coisa Nostra e do paulista Manu Maltez. Gravações caseiras estão presentes nos registros de Isabel Nogueira e Luciano Zanatta, do Rio Grande do…

24 de agosto de 2015 /

por Outros Críticos. A nova edição da revista Outros Críticos terá lançamentos com debates e apresentações musicais em Recife e Rio de Janeiro. Na Orbe Coworking (8º andar do Edf. Pernambuco), a partir das 19h, o debate será focado no tema da oitava edição, com a escritora e jornalista Fabiana Moraes, o fotógrafo e jornalista Chico Ludermir e a mediação da professora da UFPE Fernanda Capibaribe. No Rio de Janeiro traremos um panorama de todas as edições lançadas, com isso,…

5 de junho de 2015 /

por Carlos Gomes. A música para Hugo Linns é um estado de vigília. Permanentemente um solitário colhendo as influências que o cercam e reconstruindo uma tradição que não é autorreferente, mas contaminada pelas coisas do mundo. O silêncio dos mais velhos que, mesmo negado, incomoda, mas estimula as experiências para com a música, não dá aos mestres o direito de apontar os caminhos a se seguir – os sons da viola não são rupturas, mas desvios de rota, ou mais,…

9 de fevereiro de 2015 /

Palavras dispostas assim, lado a lado, soam naturalmente repetitivas. Mas não. A da esquerda significa uma forma de guerrilha, a da direita outra. Uma está na ordem da exceção, outra da regra. Como naquele filme-ensaio de Godard sobre a cultura como regra e a arte como exceção. Os anos 1990 desentupiram as veias da cidade do Recife – reproduzo a analogia – e os 2000 conectaram a cidade aos sons de lugares bem mais distantes, dando-lhe voz e sendo a…

8 de setembro de 2014 /

por Carlos Gomes. No campo da reflexão cultural sobre a música popular brasileira, chega a ser contraditório o amplo espaço que os estudos sobre a música alcançaram nas mais diferentes áreas acadêmica do país, se contrastarmos essa visibilidade com o esvaziamento do debate cultural nas mídias impressas, como jornais e revistas. Cursos de pós-graduação em Letras, Comunicação, Ciências Sociais, Antropologia, História, entre outros, têm tido na música brasileira um vasto campo de possibilidades para o desenvolvimento crítico. Seria mais que…

25 de agosto de 2014 /

por Outros Críticos. O coletivo Sexto Andar continua a expandir em seus eventos a aproximação entre os vários setores artísticos da cidade. Tento no projeto ExcentriCidades, já em sua 5ª edição, a principal ação que abre as portas de seu espaço para o público, tem contado com a interação da música com dança, fotografia, artes visuais, poesia etc. Pelo espaço, já passaram nomes como Miró, Juliano Holanda, Daaniel Araújo, Paulinho do Amparo, entre outros. Na próxima quarta-feira, o músico Hugo…

15 de maio de 2014 /

Dois sons é um projeto de gravações com curadoria do Outros Críticos e apoio da AESO-Barros Melo. O projeto tem edição bimestral, sempre vinculado ao lançamento da revista Outros Críticos. Faça o download da 3ª edição aqui. Edição 3 | Maio de 2014 1. Batatinha (Hugo Linns e DJ Dolores) Hugo Linns: Viola de 10 cordas DJ Dolores: Programação e teclado 2. Rêveur (Hugo Linns e DJ Dolores) Hugo Linns: Viola dinâmica e de 10 cordas DJ Dolores: Programação e teclado.…

13 de maio de 2014 /

por Carlos Gomes. Uma das principais questões que norteiam a nova edição da revista Outros Críticos é a do quanto negligenciamos a escuta atualmente. Seja através das relações de troca culturais, aquelas estabelecidas entre o público, artistas e imprensa, ou no desenvolvimento da paisagem sonora das cidades brasileiras, em que os sons da indústria automobilística e da construção civil tendem a dominar a paisagem. “Quem domina a paisagem, domina o mundo”, é o que afirma o músico e pesquisador Marcelo…

12 de maio de 2014 /

por Carlos Gomes. Dezenove anos havia vivido como quem sonha: olhava sem ver, ouvia sem ouvir, esquecia-se de tudo, de quase tudo. Ao cair, perdeu o conhecimento; quando o recobrou, o presente era quase intolerável de tão rico e tão nítido, e também as memórias mais antigas e mais triviais […] Agora a sua percepção e sua memória eram infalíveis. – Funes, o memorioso (Jorge Luis Borges) Arte e tecnologia se firmam como pontos de partida do festival Continuum, que…

21 de dezembro de 2013 /

por Júlio Rennó. A minha última seleção de destaques em música é a de shows que vi aqui em Pernambuco. A lista apresentada está, por assim dizer, em três partes. A primeira é de shows de bandas e músicos de que mais gostei, a segunda é de projetos especiais que relacionaram música e cinema. A última parte traz um show organizado pelo Outros Críticos, uma espécie de off lista auto-propaganda.  Tentei pôr vídeos dos shows respectivos ou de outros da…

24 de setembro de 2013 /

Ao ouvir Vermelhas nuvens (2012), segundo álbum do pernambucano Hugo Linns, os diferentes sertões que podem nos habitar se excitam de maneira curiosa. De início, eles já surgem vigorosos e trazem à tona as pequenas referências de Sertão que guardamos, não raro, em cantos meio perdidos da memória: uma viagem de infância, um documentário visto na tevê, um dia de festa num mercado público. Algo no disco também insinua que os sertões suscitados pela viola dinâmica de Linns têm mais…

11 de setembro de 2013 /

Faça o download da coletânea + ensaios aqui. APRESENTAÇÃO Estamos em Pernambuco, há música, crítica e todos os tipos de desencontros. Os espaços de escuta estão escassos. Como sempre, cenas culturais deglutindo e implodindo gerações. Umas após as outras. Os meios impressos não criam mais tensões, mas circulam sobrevivendo entre os escombros. Há um sorriso terno na boca do artista. O Estado controla, ou melhor, procura controlar, catalogar, filtrar e editar a criação. A arte resiste a isso tudo, é…