Tag: cobertura

10 de fevereiro de 2019 /

Não boia a carniça na superfície do mar, em cujo fundo permanecem as pérolas? Excerto do “Livro das Mil e Uma Noites”1. 10:38. O sol perfazia sua inexorável jornada em direção ao zênite num céu do mais puro azul. Lá do alto, o astro-rei despejava implacavelmente sobre Olinda todo seu esplendor luminoso e parecia zombar da agonia daquelas risíveis criaturas que lá embaixo enfrentavam o calor de sua força no vai e vem das ladeiras. Do meu ponto de vista,…

5 de fevereiro de 2018 /

A 8ª edição do Porto Musical ocorreu no bairro do Recife, em Recife-PE, de 1 a 3 de fevereiro, com seminários, conferências, oficinas, debates, rodadas de negócio e apresentações musicais nos espaços do Teatro Apolo, Hermilo Borba Filho, Paço do Frevo e Praça do Arsenal “Tocar, tocar, tocar.”, Kiko Dinucci na conferência CONTRAPORTO: Mainstream pra quê? Durante os três dias em que passei no Porto, senti uma espécie de ruído intermitente instalado sobre o espaço. Golpe-ruído; mercado-ruído; política-ruído; cultura-ruído; música-ruído;…

9 de setembro de 2017 /

A turnê brasileira do disco Ape in Pink Marble, de Devendra Banhart, passou pelo Recife em sete de setembro, no espaço Catamarã, e segue para Salvador (8), São Paulo (12), Curitiba (13), BH (10) e Porto Alegre (14). A turnê acontece com shows produzidos pelo Popload Gig e pela plataforma Queremos. 1. devendra ouviu tom zé no corpo e no som. a canção “complexo de épico”, sobretudo o que está exposto na letra, é justamente o contrário do que é…

10 de fevereiro de 2016 /

Parte I – Isso é o mais próximo que eu estive de Ivete Sangalo (risos). – (risos) É ela, cantando ali? O que deverá pensar a cantora estando tão próxima e, ao mesmo tempo, tão distante do Carnaval de Pernambuco, enquanto canta dentro de um camarote, no bairro do Recife? A distância de uma caminhada separa este camarote do carnaval de rua, nas imediações do mesmo bairro, ou mesmo nos polos-palcos, aqueles registrados como oficiais. No entanto, o que pensarão…

20 de maio de 2015 /

por Fernando Athayde. Após assistir às apresentações dos paulistanos do Bixiga 70 e dos compositores pernambucanos Lira e Tagore no último dia 15 de maio, na casa de shows recifense Baile Perfumado, a sensação era de inquietude. Enquanto as três performances se distanciavam umas das outras por abismos de possibilidades estéticas, o público não parecia estar ali para realmente encará-las como manifestações artísticas. Eventos “open bar” têm dessas coisas. Se a plateia revê os amigos e confabula sobre a vida…

30 de abril de 2015 /

por Marina Suassuna. É interessante perceber a disparidade no comportamento do público de um festival. Obviamente, são várias as motivações que levam as pessoas a frequentarem um evento pautado por uma programação que traz desde atrações estrangeiras a novidades da cena nacional, além de nomes fora do circuito comercial e os que unem o mainstream ao alternativo. Nenhum festival escapa dos nichos. Sempre há o público que vai ver apenas um ou dois artistas específicos. Como também aqueles que, além…

22 de abril de 2015 /

por Tiago Barros. Para começar, é bom salientar que esse 18 de abril de 2015 no Baile Perfumado preencheu uma lacuna importantíssima. Depois de bons anos, deve ser a primeira vez que um grande festival independente de PE monta a grade de um dos seus dias apenas com músicos do Estado. Evidentemente, como seria uma noite dedicada ao Udigrudi, movimentação de artistas dos anos 70 que precedeu o conceito associado ao Mangue Beat de misturar a música de fora com…

27 de março de 2015 /

por Carlos Gomes. Para Bruna, Fernanda e Rodrigo. Cidades e canções se assemelham por carregarem em seus corpos a presença do tempo desconstruído de sua forma linear, cronológica, a que nos habituamos a reconhecer. Sua forma aparentemente reconhecível pode ser subitamente destituída se penetrarmos no que lhe pertence de mais profundo. Cidades e canções são feitas de muitas cascas. a história da magrelinha Eram já horas de estradas quando no caminho de casa encontramos Dênis: “Sinceramente, não gosto da cultura…

9 de fevereiro de 2015 /

Palavras dispostas assim, lado a lado, soam naturalmente repetitivas. Mas não. A da esquerda significa uma forma de guerrilha, a da direita outra. Uma está na ordem da exceção, outra da regra. Como naquele filme-ensaio de Godard sobre a cultura como regra e a arte como exceção. Os anos 1990 desentupiram as veias da cidade do Recife – reproduzo a analogia – e os 2000 conectaram a cidade aos sons de lugares bem mais distantes, dando-lhe voz e sendo a…

31 de outubro de 2014 /

por Rodrigo S. Pereira Não é novo o conflito entre cinema e televisão, entre profissionais do audiovisual, cinéfilos, críticos e (supostos, muitas vezes autoproclamados) entendidos do assunto. Também já não é novidade, em 2014, a aproximação dos meios, ainda mais no Brasil. Em 2013 chegava aos cinemas Crô (dir: Bruno Barreto), longa-metragem inspirado pelo personagem homônimo da novela Fina Estampa, criada por Aguinaldo Silva e dirigida por Wolf Maya para a rede Globo. Povo de riso fácil, os brasileiros consomem…

27 de outubro de 2014 /

por Rafael de Queiroz. No clima tenso das eleições, a programação do domingo dentro do Festival Janela começou com uma película que ajudou a acirrar os nervos do público. O longa sueco Turista (Force Majeure) é um thriller que provocou risadas nervosas durante sua projeção e conta a história de uma família aparentemente perfeita que vai passar as férias num luxuoso hotel localizado nos Alpes Franceses. Tomas e Ebba formam um par atraente e junto com seu belo casal de…

25 de outubro de 2014 /

por Rafael de Queiroz. O VII Festival Janela Internacional de Cinema começou, como havia de se esperar, com a casa cheia. Além das enormes filas para se comprar o ingresso adiantado, a sessão de estreia ainda contou com alguns problemas técnicos na sala, o que atrasou um pouco o início da sessão. A questão do grande tempo de espera na fila foi até tocado pelo diretor Marcelo Pedroso, que agradeceu ao público presente que fez um grande esforço para poder…

16 de outubro de 2014 /

por Marina Suassuna. É aparentemente óbvio pensar que um festival de música só se sustenta pela grade de artistas, o carro-chefe de qualquer evento do gênero. No entanto, a dinâmica que um festival é capaz de proporcionar perpassa vários outros fatores nem sempre explícitos. Entre eles, estão as trocas e as convivências estabelecidas no local, e a maneira como o público irá se relacionar com o espaço, que se tornam tão importantes quanto uma programação bem construída, interferindo, diretamente, nos…