20 de agosto de 2014 /

por Carlos Gomes. O impacto que é assistir aos shows de Aninha Martins, sua expressividade, a naturalidade com que se arrisca ao cantar, doando-se sem medida num metro de palco rodeado de barulho que seja, ou no mais profundo silêncio daqueles que esperam da música uma revelação, tem na expressão catártica que emana das vozes do corpo dela, um dos muitos sentidos a que podemos atribuir, sem medo, do que seja a arte. A conversa que tive com ela me…

13 de maio de 2014 /

por Carlos Gomes. Uma das principais questões que norteiam a nova edição da revista Outros Críticos é a do quanto negligenciamos a escuta atualmente. Seja através das relações de troca culturais, aquelas estabelecidas entre o público, artistas e imprensa, ou no desenvolvimento da paisagem sonora das cidades brasileiras, em que os sons da indústria automobilística e da construção civil tendem a dominar a paisagem. “Quem domina a paisagem, domina o mundo”, é o que afirma o músico e pesquisador Marcelo…

12 de maio de 2014 /

por Carlos Gomes. Dezenove anos havia vivido como quem sonha: olhava sem ver, ouvia sem ouvir, esquecia-se de tudo, de quase tudo. Ao cair, perdeu o conhecimento; quando o recobrou, o presente era quase intolerável de tão rico e tão nítido, e também as memórias mais antigas e mais triviais […] Agora a sua percepção e sua memória eram infalíveis. – Funes, o memorioso (Jorge Luis Borges) Arte e tecnologia se firmam como pontos de partida do festival Continuum, que…

24 de março de 2014 /

por Carlos Gomes. A edição nº2 da revista Outros Críticos está carregada de beleza e violência. É sempre um mistério quando recebemos o portfólio do artista/ilustrador convidado e, de alguma forma, tentamos construir uma narrativa entre as imagens e artigos. As pinturas e desenhos de Daaniel Araújo encaixaram-se muito bem no tom político e crítico que boa parte dos artigos assumiu. Fernanda Maia (designer) explorou bem a variedade de obras selecionadas, tratando de atribuir (ou intensificar) novos sentidos às imagens,…

5 de fevereiro de 2014 /

por Carlos Gomes. Diante das últimas notícias que envolvem o Carnaval desse ano, seja no anúncio da programação ou na restrição de horário de manifestações culturais como a do Maracatu de Baque Solto, e que oficialmente se estenderá em todos os polos e eventos, os primeiros nomes divulgados do Festival Rec-Beat e do projeto “Rec-Beat apresenta”  dão certa esperança de que a gestão cultural, como um todo, dos eventos apoiados pelo Estado ou prefeituras caminhe em direção diferente da que…

22 de novembro de 2019 /

Este texto é uma tentativa de derivar através do livro Chants Populaires du Brésil, que apesar do título em francês e de pertencer à Biblioteca Musical do Museu da Palavra e do Museu Guimet, foi concebido por uma brasileira, Elsie Houston. Publicada em 1930, ainda não havendo versão em português, a obra está disponível na plataforma Gallica, da Biblioteca Nacional da França, e também conta com um exemplar na coleção do pesquisador José Ramos Tinhorão, no Instituto Moreira Salles, servindo…

9 de agosto de 2019 /

[acesse aqui a parte 1 da entrevista] F – O que tens estudado atualmente? N – Eu tenho impressão de passar a vida tentando descobrir como estudar bem, sabe. Ultimamente, como eu quebrei o dedo, eu não queria compensar. Porque com um dedo a menos você fica querendo compensar, achar um esquema de sobrevivência e depois o dedo volta a funcionar e você não consegue mais se livrar desses cacoetes. O que eu fiz foi que eu tirei um monte…

16 de abril de 2019 /

trajetória João Soares, mais conhecido como Biu Roque, nasceu em 1934 no Município de Condado e faleceu aos 76 anos em abril de 2010. Foi um dos músicos mais respeitados e admirados na Zona da Mata Norte, Pernambuco. Sabe-se que sua mãe, Dona Maria Guilherme, trabalhava como cozinheira em um dos muitos engenhos de cana-de-açúcar da região, e cultivava o costume de organizar rodas de coco na região. É neste contexto que se inicia a trajetória do pequeno João, ainda…

24 de fevereiro de 2019 /

Sambas Do Absurdo é o resultado do encontro de três artistas centrais na música popular brasileira contemporânea, cada um deles, a seu modo, renovadores da linguagem da canção em nosso país. De modo esquemático, identificarei assim o papel de cada um neste trabalho: o compositor Rodrigo Campos, o produtor Gui Amabis e a intérprete Juçara Marçal. Criadores de muitos recursos, naturalmente seus papéis se cruzam e se misturam ao longo do disco, mas valho-me dessa classificação para melhor elencar as…

10 de fevereiro de 2019 /

Não boia a carniça na superfície do mar, em cujo fundo permanecem as pérolas? Excerto do “Livro das Mil e Uma Noites”1. 10:38. O sol perfazia sua inexorável jornada em direção ao zênite num céu do mais puro azul. Lá do alto, o astro-rei despejava implacavelmente sobre Olinda todo seu esplendor luminoso e parecia zombar da agonia daquelas risíveis criaturas que lá embaixo enfrentavam o calor de sua força no vai e vem das ladeiras. Do meu ponto de vista,…

23 de outubro de 2017 /

No último sábado, o festival No Ar Coquetel Molotov recebeu uma série de artistas e ações nos palcos e espaços montados no Caxangá Golf & Country Club, no Recife. O festival continua com novas atrações entre os dias 25 e 28 de outubro na cidade de Belo Jardim. 1. corpos cercados num território de invenção; como circo fábula ou ficção que chega a uma cidade pequena e altera a sua rota, o seu cotidiano ordinário. durante algumas horas, na passagem…

30 de junho de 2017 /

Em 1922, com a chegada dos Turunas Pernambucanos à cidade do Rio de Janeiro, inicia-se a segunda onda de música nordestina a tomar conta do Sudeste do país: uma consequência direta do sucesso e influência de artistas como João Pernambuco e Catulo da Paixão Cearense no ambiente cultural carioca, desde a primeira metade dos anos 1910. O auge desta onda se dá entre os anos de 1927 e 1929, com a chegada à capital federal de mais dois conjuntos igualmente…

20 de abril de 2017 /

Este texto é o primeiro de uma série de oito artigos que propõem o levantamento de uma discografia da música produzida por compositores e intérpretes nordestinos, partindo da fase inicial da indústria fonográfica brasileira, em 1902, e chegando até o final do século XX. Não se trata de uma lista de “melhores discos”, nem mesmo de uma discografia técnica e definitiva sobre o tema – o que seria dificílimo, ou mesmo impraticável, com o espaço e os recursos disponíveis em…