Mojav Duo & dança

 

Na próxima sexta-feira (17/05), os músicos Fred Lyra (guitarra) e Hugo Medeiros (bateria) encerram a temporada de cinco apresentações no Teatro Joaquim Cardozo (Recife/PE). O duo instrumental Mojav Duo contou com a participação de convidados de diferentes áreas artísticas em cada uma das edições. A última apresentação teve a presença do Grupo Totem, que neste ano comemora 25 anos, atuando principalmente com dança e teatro.

A banda existe desde 2009, segundo Fred Lyra (que também faz parte da Nebulosa Quinteto): “Algumas músicas são completamente arranjadas, outras abertas a muita improvisação. Desde o princípio trabalhamos elementos da música africana, indiana e da improvisação jazzística”.  A sonoridade da dupla impõe ao ouvinte uma apreciação de cada detalhe da performance dos músicos durante a execução das músicas, como se houvesse um elaborado jogo musical sendo proposto ao público, que deve abdicar de seus pressupostos clássicos sobre música instrumental, jazz, música brasileira, e penetrar profundamente na eterna sutileza que são os sons da banda, sobretudo pela variação sonora que a bateria de Hugo Medeiros (Rua)  incorpora à massa sonora da Mojav Duo.

Na apresentação da última sexta-feira, a performance de Juliana Nardin e a participação de Fred Nascimento na percussão, que representaram o Grupo Totem nos dois números finais do show, enriqueceram a possibilidade de interpretações das músicas da dupla, sobretudo pela incorporação da dança no show. Tanto Fred quanto Hugo têm tido trabalhos em que música e dança se aproximam, sobretudo ao experimentar ambas as áreas/linguagens artísticas. Os dois podem ser vistos nas Jam Sessions mensais do Coletivo Lugar Comum. Neste espaço, comunam, principalmente, o improviso na dança e na música. Aliás, os próximos convidados da temporada de shows da Mojav Duo são justamente os membros do Coletivo Lugar Comum. Com eles, a banda Rua, da qual Hugo Medeiros faz parte, compôs a trilha sonora do espetáculo “Segunda Pele”.

É muito importante perceber que ao redor dos músicos Fred Lyra e Hugo Medeiros, bem como da sonoridade da Mojav Duo, a pluralidade não se atém meramente a preceitos estéticos, ao comentarmos sobre o show de uma dupla, acabamos também por revelar como diferentes artistas de Pernambuco mantêm os seus trabalhos e estão sempre em contato e procurando experimentar novas formas de ver a sua arte, é nessa conjunção de forças que o sentido verdadeiro da arte deva estar presente.

por Carlos Gomes.

Categorias

Carlos Gomes Escrito por:

Escritor, pesquisador e crítico. É editor dos projetos do Outros Críticos, mestre em Comunicação pela UFPE e autor do livro de contos "corto por um atalho em terras estrangeiras" (2012), de poesia "êxodo," (CEPE, 2016) e "canto primeiro (ou desterrados)" (2016), e do livro "Canções iluminadas de sol" (2018), um estudo comparado das canções do tropicalismo e manguebeat.

seja o primeiro a comentar

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.