Categoria: Coluna

27 de maio de 2019 /

Para quem está longe dos (Ar)Recifes, parece que nosso universo musical está restrito ao frevo do carnaval, ao patrimônio Mangue e aos três grandes festivais que marcam o calendário “turístico-musical” da cidade: Abril Pro Rock, Coquetel Molotov e Rec Beat. Recentemente, tivemos a abertura de nosso ano sazo-musical: o Festival Abril Pro Rock. Apesar do nome, o evento consegue unir…

Leia MaisFalta crítica para se pensar a crítica em Hellcife

27 de maio de 2019 /

(um breve apontamento sobre o fazer crítico escritural) o trato com obras de arte, sim, pois acredito fortemente que a música seja de uma outra ordem que não a do puro entretenimento (ainda que também lhe caiba esse papel na medida em que não devore toda a potência da experiência estética frente à necessidade neurótica do receptor), merece atenção e…

Leia Maissombras e linguagem

27 de maio de 2019 /

Se fosse para tentar categorizar, a sexta-feira do Abril Pro Rock foi o dia da meiguice e da felicidade. Boa parte das atrações, tirando algumas exceções, faziam um som para cima, para cantar juntinho abraçado com os amiguinhos e, preferencialmente, com um público formado por gente que não tinha uma idade muito acima dos 21, 22 anos de idade, pois,…

Leia MaisCobertura do Festival Abril Pro Rock

27 de maio de 2019 /

Paperbag é uma série de entrevistas que omite a real identidade dos entrevistados para que o leitor se atenha – em primeira instância – ao conteúdo das respostas sem associá-las diretamente a alguma pessoa ou contexto, com isso cada entrevistado é convidado a escolher seu próprio codinome e algumas palavras são suprimidas. Todo mês entrevistaremos uma personalidade pública de relativa…

Leia MaisPAPERBAG #2 com Epaminondas Bartolomeu

27 de maio de 2019 /

Diálogos é uma série de conversas realizadas com personalidades pensantes. O segundo texto é um papo que eu tive com o músico Zeca Viana. A ideia central do projeto é subverter os posicionamentos estabelecidos nas entrevistas usuais, em que o entrevistador faz as perguntas, mas não responde, e em que o entrevistado responde às perguntas roteirizadas pelo entrevistador, mas não…

Leia MaisDiálogo II com Zeca Viana: “seja marginal, seja herói” ainda faz sentido?

27 de maio de 2019 /

DEDICATÓRIA O calor louco atravessava paredes e se jogava sobre a pele, pegajoso. Ele pensou em sondá-la sobre o que exatamente a cabeça dela martelava. E martelava. Alguns meses juntos. Não significava nada. Ou melhor, significava muito. O avô dizia que, às vezes, se conhece alguém pra vida toda em poucos dias. Pena ter ignorado isso anos atrás, pena ter…

Leia MaisEstórias roubadas #3

27 de maio de 2019 /

Há um indivíduo soturno e sorumbático que ronda botecos e casas de shows má afamadas na cidade do Recife. É um estranho híbrido que mescla smurf ranzinza, Rob Fleming (o dono da loja de discos de Alta Fidelidade) e o Pateta de Walt Disney. Apesar de gostar de Matheus Mota e Ex-Exus, ele se sente excluído quando o jornalista Silvio…

Leia MaisAzia e Cena Indie(gesta) em Recife

27 de maio de 2019 /

Com o cancelamento do Sónar, anunciado na segunda-feira da semana passada, alegando a “instabilidade do mercado de entretenimento” brasileiro, voltamos para um debate que há algum tempo vem tomando corpo dentro da produção cultural no país: a (possível) crise do mercado. Será que estamos caminhando para uma saturação do ramo de eventos musicais no Brasil? Será que a bolha do…

Leia MaisEstouramos a bolha?

27 de maio de 2019 /

Paperbag é uma série de entrevistas que omite a real identidade dos entrevistados para que o leitor se atenha – em primeira instância – ao conteúdo das respostas sem associá-las diretamente a alguma pessoa ou contexto, com isso cada entrevistado é convidado a escolher seu próprio codinome e algumas palavras são suprimidas. Todo mês entrevistaremos uma personalidade pública de relativa…

Leia MaisPAPERBAG #1 com REGINA PHALANGE

27 de maio de 2019 /

UM CHAMADO Pensou que a tinham chamado. Talvez fosse a sua tia idosa, instalada no quarto dos fundos. Desde que a doença metera a velha numa cadeira de rodas, ela a solicitava constantemente. Sabia que, na maioria das vezes, não era uma real urgência que motivava seus pedidos, mas a necessidade de conversar, simplesmente ouvir e ser ouvida. Sua paciência…

Leia MaisEstórias roubadas #2

27 de maio de 2019 /

Esse personagem estranho do mundo da música não recebe os holofotes da crítica especializada ou da academia. Talvez, isso seja perpassado pelo aspecto negativo que muitos têm diante dessa figura. Para provar isso, podemos até citar o pesquisador e crítico musical inglês, Simon Reynolds, que no seu livro Retromania (2011) afirma que, para ele, os colecionadores eram apenas “loucos que…

Leia MaisO colecionador de discos

27 de maio de 2019 /

o fazimento dessa escritura não deve ser científica, rígida (já que o seu objeto de estudo/análise se localiza, cartograficamente, no campo da arte). uma escritura que dialogue com seu objeto, que perpasse as sensações e pulsões da obra; que não tente conter ou catalogar desejos, mas que lhes empreste corpo, que lhes proporcione adensamento dar corpo musical-crítico é adentrar, habitar…

Leia Maisa crítica como prática neobarroca

27 de maio de 2019 /

Diálogos é uma série de conversas realizadas com personalidades pensantes. O texto de abertura é um papo que eu tive com o artista plástico, músico e designer, Daaniel Araújo. A ideia central do projeto é subverter os posicionamentos estabelecidos nas entrevistas usuais, em que o entrevistador faz as perguntas, mas não responde, e em que o entrevistado responde às perguntas…

Leia MaisDiálogo I com Daaniel Araújo: para ser um artista revolucionário é preciso deixar de ser artista?