Categoria: Artigo

15 de dezembro de 2016 /

preparação não seria possível isolar um pretenso texto que partiria da obra sonora delivered in voices – exposta e vivida como residência artística por diversos músicos e artistas durante a última edição do festival novas frequências, no rio de janeiro, em dezembro de 2015 – do fato de seu criador, o artista visual tunga, ter falecido enquanto a estrutura deste texto ainda não estava totalmente erguida. a preparação se dava no contato mais direto com aquela obra, no que era…

18 de novembro de 2016 /

Estado democrático e político precisa de despersonalização, imparcialidade. Contrariando as expectativas, é Cordial o sistema em que vivemos – apaixonado, emocional. Cordial mas passional. Não ecoam os gritos dos “desterrados em nossas terras” (Sergio Buarque de Holanda), mas sim os dos colonos; pois na escolástica deste País não se aprende nem se ensina que “o cigarro é uma invenção dos índios da América do Sul” (Caetano Veloso). Sempre é o “Velho Mundo” estuprando o “Novo Mundo” em 516 anos de…

6 de outubro de 2016 /

Existe uma velha dualidade que paira como um espectro na nossa história, é a dualidade entre corpo e mente (que Platão entendia como o mundo sensível e mundo das ideias) que trouxe dos gregos para os cristãos a mensagem que o mundo que é apreendido pelos nossos sentidos é falso, sujo e enganador, ao contrário do mundo das ideias (posteriormente compreendido como Reino dos Céus). Como herdeira direta (e várias vezes não assumida) dos processos dogmáticos religiosos, a ciência pega…

22 de setembro de 2016 /

Se um dia a música pôde ser reproduzida e distribuída em grande escala foi graças às tecnologias que permitiram a sua materialização em fonograma e posteriormente em disco. Fruto da conjunção entre a produção dos artistas e as possibilidades de tecnologias, o disco transformou a circulação da música no mundo e a maneira como ela chegava ao público. Ao longo do século 20, seus parâmetros foram sendo determinados e transformados conforme a tecnologia de gravação foi se desenvolvendo, começando pelos…

13 de setembro de 2016 /

Um convite para escrever como colunista no site Outros Críticos. Um encontro. Assim, uma ideia de dança me veio como proposta de escrita. Um dos meus interesses de investigação em dança atualmente é a improvisação como prática, como exercício, para a composição cênica. Entendendo cênico aquilo se apresenta ao outro, com fins estéticos, como esse texto. Na dança, um dos caminhos de utilização do improviso para compor é delimitar algumas bordas, regras, que sempre podem ser subvertidas. Mas é nesta…

6 de setembro de 2016 /

Nos últimos 20 anos, entre Baile perfumado (1996) e Aquarius (2016), diferentes teorias têm surgido para tentar explicar o êxito do cinema pernambucano nos maiores festivais de cinema nacionais e internacionais. Mesmo que os filmes produzidos no estado ainda não tenham alcançado um sucesso absoluto nas bilheterias, é inegável a contribuição estética e a originalidade das obras, respaldas pela crítica e provocadoras de discussões para além do campo artístico. Nenhuma das hipóteses levantadas, no entanto, conseguiu identificar precisamente as razões…

4 de agosto de 2016 /

I Cinelândia, Rio de Janeiro, A Mulher do Fim do Mundo. Em meio a uma multidão que protestava contra as pautas retrógradas do parlamento brasileiro, especificamente nos projetos de lei que dificultam o atendimento às mulheres que sofreram estupro ou abuso sexual e na restrição ao uso da pílula do dia seguinte, os versos de uma canção que dão nome ao primeiro disco totalmente inédito de Elza Soares, se destacam estampados num cartaz, diante da imensidão de corpos, lutas e…

3 de julho de 2016 /

Bem que poderia ser um cigarro Hollywood, aquele branquinho que pedi a você assim que sentamos no chão, no backstage do Rec-Beat, para conversar. A tarde tinha acabado de começar e você havia acabado de sair da passagem de som. Estávamos lá, ao invés das ladeiras e suores e amores de Olinda, numa segunda-feira de Carnaval. Nós, a banda e um punhado de seus fãs. Punhado vem de mão, de punho (contava-se nos dedos os destemidos dos raios ultravioletas). O…

3 de julho de 2016 /

De Feira de Santana para o palco do Rec-Beat, o canto de Russo Passapusso já ecoou de maneiras distintas. Em 2011, a primeira vez do baiano no Recife foi carregada de timbres e frequências graves. Tratava-se de seu trabalho à frente do Baiana System, que ressignificava matrizes de samba com matrizes de reggae, atreladas à cultura do bemba style, música eletrônica, guitarrada e axé. Passada a primeira experiência, retornar ao mesmo palco quatro anos depois, na 20ª edição do festival,…

1 de julho de 2016 /

por Rodrigo Édipo e Igor Marques. não lembro bem, mas acho que foi na unitop que varlos me falou pela primeira vez sobre esse esquema do recbeat. nesse dia ele também falou de mais uns 300 projetos e me apresentou um planejamento do otros críticos pra 2035 e um contrato pra eu assinar. como de costume, falei que estaria ocupado até lá. dias depois veio o convite oficial. carlos me disse que “o artista” que escolheu para o meu ensaio…

30 de maio de 2016 /

Gritar é exasperar a potência do canto. Essa é a primeira tese que encontrei para começar a escrever sobre a experiência de assistir ao show Encarnado de Juçara Marçal, Kiko Dinucci, Rodrigo Campos e Thomas Rhoner durante a 20ª edição do festival Rec-Beat, em Recife-PE, na pletora de alegria que é o carnaval pernambucano. Relembrar o grito de Juçara é me deparar com dois momentos distintos: o grito-útero e o grito-canto. São sobre essas distinções que procurarei escrever neste ensaio.…

20 de maio de 2016 /

Em primeiro de maio, além de rememorarmos as lutas dos nossos antepassados trabalhadores – que se torna ainda mais importante em tal momento de ataque destrutivo ao trabalho – comemoramos também o aniversário de 81 anos de Heraldo do Monte (1935).  Já não seria pouco, mas não passaria de uma constatação, a afirmação de que Heraldo é o maior guitarrista e um dos maiores músicos nascidos no estado de Pernambuco. Mas podemos ir além e nos darmos conta também de…

24 de fevereiro de 2016 /

a máscara da linguagem O velho grandioso e solitário cambaco Vicente Barreto, compositor e violonista, está novamente dizendo canções – após 10 anos sem lançar discos – ao lado dos músicos Kiko Dinucci, Romulo Fróes, Rodrigo Campos, Marcelo Cabral, Thiago França, Juçara Marçal, Sérgio Machado e do seu filho Rafa Barreto. Mas a estória que desejo contar não é sobre a música, é sobre o que devaneia os sons, o que o tangencia com linguagens várias. O velho grandioso e…