Categoria: Artigo

3 de novembro de 2020 /

Ensaio fotográfico por Priscilla Buhr. Entrevista por Fernanda Maia. Transcrição (versão 2) de entrevista realizada no dia 01 de outubro de 2020, por meio de videoconferência. < Parte 1 > Fernanda Maia: Como foi fazer a mostra Entremoveres, no Museu da Abolição, em Recife, com foco na participação de artistas mulheres (travestis, trans e cis) e pessoas não binárias – uma visão cada vez mais necessária e que nem todos os espaços ou grupos têm? biarritzzz: A mostra Entremoveres foi…

12 de agosto de 2020 /

“O corpo é um mapa cultural”Massimo Canevacci “Agir sobre o corpo é sempre um meio, de alguma forma, de agir sobre a sociedade”Patrícia Sobrinho A discussão sobre o corpo, ou melhor, sobre os corpos, em nossa sociedade está constituída sobre um alicerce fundado num estado escravocrata, com justificativas baseadas num discurso “cristão”, uma espécie de “platonismo religioso”, em que o corpo, tratado como menor, sujo, não pensante, está(va) separado da mente: o intelecto. Essa divisão fundamenta uma separação étnica, que…

7 de julho de 2020 /

O corpo. A familiaridade da expressão é tão palpável quanto o incômodo que sempre aparece quando me deparo com ela. Quer soar sólida, concreta, transparente. Mas me parece inadequada, enganosa e equivocada para além de qualquer solução possível. Talvez eu esteja falando dos limites da própria linguagem. Talvez me incomodasse menos se não fosse algo tão básico. Toda vez que sai da minha boca, sinto a culpa de dizer uma mentira. O corpo, assim único, existe apenas como instrumento de…

23 de dezembro de 2019 /

Ler on-line | Download Outros Críticos Ano IV Edição 14 Dezembro de 2019 Tema da edição: Contraimagem Binário Armada:artista convidado Fabiana Moraes:colaboradora Marileide Alves:colaboradora Géssica Amorim:pesquisadora convidada Carlos Gomes: edição, redação e revisão textual Fernanda Maia:projeto gráfico, diagramação e texto GGabriel Albuquerque:texto Priscilla Buhr:ensaio fotográfico Rodrigo Édipo:assessoria de imprensa Incentivo Funcultura-PE Esta revista é uma iniciativa do projeto de crítica cultural Outros Críticos. Realizada com incentivo do FUNCULTURA (Governo do Estado de Pernambuco). ISSN: 2318-9177 Imagem de destaque: Binário Armada…

29 de novembro de 2019 /

Uma maré, maré erê. Uma, filha, criança, erê. Menina, negra, mestiça. Filha de preta, amazonina.  As crianças das favelas. A maré das crianças. Imagens que circundam a minha cabeça. Na favela da Maré, o mar é de sangue e amar é de morte. A beleza pura da vida, da bala doce, e a tragédia da bala que canta, rasgando o som, tombando do céu, no coração, na testa, na espinha. Infesta, em festa. Trança se inicia com esse canto dos…

22 de novembro de 2019 /

Este texto é uma tentativa de derivar através do livro Chants Populaires du Brésil, que apesar do título em francês e de pertencer à Biblioteca Musical do Museu da Palavra e do Museu Guimet, foi concebido por uma brasileira, Elsie Houston. Publicada em 1930, ainda não havendo versão em português, a obra está disponível na plataforma Gallica, da Biblioteca Nacional da França, e também conta com um exemplar na coleção do pesquisador José Ramos Tinhorão, no Instituto Moreira Salles, servindo…

1 de novembro de 2019 /

Ler on-line | Download Outros Críticos Ano IV Edição 13 Outubro de 2019 Tema da edição: O que pode o corpo? Laíza Ferreira:artista convidada Ava Rocha:colaboradora Conrado Falbo:colaborador Marília Santos:pesquisadora convidada Carlos Gomes: edição, redação e revisão textual Fernanda Maia:projeto gráfico, diagramação, texto e revisão textual GGabriel Albuquerque:texto Priscilla Buhr:entrevista e fotografia Rodrigo Édipo:assessoria de imprensa Incentivo Funcultura-PE Esta revista é uma iniciativa do projeto de crítica cultural Outros Críticos. Realizada com incentivo do FUNCULTURA (Governo do Estado de Pernambuco).…

26 de junho de 2019 /

Numa manhã de domingo, um sujeito sorridente apareceu numa das pacatas esquinas do bairro da Lapa, em São Paulo, e amarrou um estandarte em que se lia “Lapa de Urso” na placa que indicava o cruzamento entre as ruas Tito e Marco Aurélio. “Fundamos esse bloco para que os pernambucanos que não podiam viajar pro Recife durante o carnaval pudessem matar a saudade”, explicou Mestre Nico, então com 43 anos, posando ao lado do estandarte. Bastante magro, usava uma camisa…

11 de março de 2019 /

Em 2015, escrevi para o site Outros Críticos um relato de indignação sobre o péssimo tratamento que os brinquedos de Maracatu Rural receberam em algumas cidades da Zona da Mata Norte durante o carnaval daquele ano. O texto discorria sobre os cachês irrisórios, dificuldades nos pagamentos e desprezo das prefeituras pelas agremiações. Hoje, 2019, aqui estou eu novamente indignado escrevendo sobre essa tensa relação entre poder público e a arte do Maracatu Rural. De lá para cá, a situação pouco…

28 de fevereiro de 2019 /

Foto de capa: Turunas da Mauricéia. Anúncio no Correio da Manhã (RJ), 06 de fevereiro de 1927. O período compreendido entre 1927 e o início da década de 1930 é certamente um dos mais complexos e decisivos para a história da música brasileira registrada em discos. É um momento marcado pela aposta da indústria cultural na absorção e divulgação de um espectro mais amplo da imensa diversidade estética brasileira, como também pela expansão do alcance territorial e das possibilidades técnicas…

25 de fevereiro de 2019 /

Uma fotografia, feita em 1865, retrata o jovem Lewis Payne. Ele tentara assassinar o Secretário de Estado dos Estados Unidos, W. H. Seward. O fotógrafo Alexander Gardner encontrou Payne algemado na cela, aguardando o momento em que seria enforcado. Sobre ela, Roland Barthes escreveu: “Eu leio ao mesmo tempo: isso vai acontecer e isso já aconteceu”. O estupor: Payne vai morrer, Payne já está morto. Olhe nos olhos de Payne. O cinema é como ele. O cinema é a morte…

25 de fevereiro de 2019 /

Sambas Do Absurdo é o resultado do encontro de três artistas centrais na música popular brasileira contemporânea, cada um deles, a seu modo, renovadores da linguagem da canção em nosso país. De modo esquemático, identificarei assim o papel de cada um neste trabalho: o compositor Rodrigo Campos, o produtor Gui Amabis e a intérprete Juçara Marçal. Criadores de muitos recursos, naturalmente seus papéis se cruzam e se misturam ao longo do disco, mas valho-me dessa classificação para melhor elencar as…

19 de fevereiro de 2019 /

Eu pensei em propor um diálogo aberto com este texto; e, por isso, eu o entendo como uma continuidade de conversas que venho tendo com diversas pessoas e a possibilidade das reflexões serem desdobradas no futuro – inclusive, repensando pontos e abrindo a alma para recuar em alguma coisa dita. Contudo, como conversa que a gente pega pelo caminho, engata um fio e segue articulando junto, este texto tem a proposta de compartilhar um pouco das vivências colaborativas que tenho…