Autor: Jeims Duarte

Tem sua obra como artista plástico centrada no Desenho, numa ênfase constante sobre duas temáticas vistas como complementares: o corpo e a cidade. O retrato humano de tradição expressionista e uma pintura de paisagem focada na obsolescência urbana confluem, para o artista, numa "Poética da Construção de Ruínas", a problematizar o entendimento de um "realismo contemporâneo", objeto de tese em andamento no Doutorado em Design da UFPE.

9 de janeiro de 2017 /

Saudações multicolores! Confesso, amigos: meio sem saber sobre o que escrever para esta (talvez) última contribuição para Outros Críticos, topo por acaso com uma edição recente da ARTFORUM trazendo, entre seus textos, uma matéria do artista Joseph Grigely sobre “Soundscaping” (Soundscape). Como devem lembrar, “Paisagem Sonora” foi também o tema da 3ª Edição de Outros Críticos (em 2014). O fato não apenas me surpreendeu por sua oportunidade, coisa que Grigely definiria como “serendipity” (acaso feliz), como também me fez pensar…

31 de outubro de 2016 /

Como um meteorito contemporâneo a tomar de assalto uma tradicional paisagem urbana, a Casa da Música da cidade do Porto é também melodia para os olhos. Saudações multicolores! Se em agosto comecei minha existência de colunista, agora inicio minha existência de “correspondente internacional”, aproveitando a estada na cidade do Porto, em Portugal, para apresentar aos leitores de Outros Críticos a Casa da Música do Porto, verdadeira Gesamtkunstwerk[1] em ato e de fato. Para os que felizmente já a conheçam, permitam-me…

12 de agosto de 2016 /

“Music mix the bourgeoisie and the rebel”. (Madonna) Saudações multicolores! Inicio esta contribuição a OUTROS CRÍTICOS como uma homenagem a seu universo inicial: a Música! Parabenizo inclusive a crescente intenção da plataforma em dialogar mais fortemente com outras “linguagens” artísticas! Neste sentido, aproveito para, previamente e a título de “choro de pitanga”, reclamar de que nunca tive aulas de Música em minha Educação Básica! Tal ignorância “vivencial” provavelmente perpassará este texto, em tom de reverente ousadia; ou de ousada reverência!…