9 de maio de 2019 /

É bastante conhecida a afirmação de Tom Jobim de que o melhor caminho para o músico brasileiro seria o aeroporto. Se por um lado, poderíamos achar outros exemplos além do próprio, é difícil dizer que essa é uma lei geral e válida para todo e qualquer músico. É fato que caía como uma luva para ele. No seu caso específico, além do mais, o aeroporto podia ser visto como uma ponte aérea entre o mundo e o Brasil. Jobim, como…

13 de setembro de 2016 /

Um convite para escrever como colunista no site Outros Críticos. Um encontro. Assim, uma ideia de dança me veio como proposta de escrita. Um dos meus interesses de investigação em dança atualmente é a improvisação como prática, como exercício, para a composição cênica. Entendendo cênico aquilo se apresenta ao outro, com fins estéticos, como esse texto. Na dança, um dos caminhos de utilização do improviso para compor é delimitar algumas bordas, regras, que sempre podem ser subvertidas. Mas é nesta…

27 de julho de 2015 /

por Bruno Vitorino. Uma das lendas vivas do jazz e figura central do movimento nascido em Chicago nos anos 1960 que ampliou as fronteiras sonoras (e políticas) do gênero, naquilo que ficou imortalizado como Association for the Advancement of Creative Musicians; Muhal Richard Abrams afirma que “quando você toca música com outras pessoas, forma-se um laço que nunca se quebra”. O que parece ser à primeira vista uma afirmação tanto óbvia, quando investigada mais a fundo revela um alcance assombroso.…

30 de setembro de 2014 /

por Carlos Gomes. O músico, ilustrador, designer e contador de estórias Matheus Mota está perdido. E é essa perdição que dá sentido à sua música. Se a autoironia narrativa do primeiro disco, com suas impressões pianísticas dos barulhos de rua do Recife inventário que ele mesmo criou, lhe pôs numa cadeira que ninguém havia ousado sentar na cena musical contemporânea de Pernambuco, foi preciso perceber que há poucos alunos em sua sala. Ouvindo as músicas de seu novo álbum, se…

13 de maio de 2014 /

por Carlos Gomes. Uma das principais questões que norteiam a nova edição da revista Outros Críticos é a do quanto negligenciamos a escuta atualmente. Seja através das relações de troca culturais, aquelas estabelecidas entre o público, artistas e imprensa, ou no desenvolvimento da paisagem sonora das cidades brasileiras, em que os sons da indústria automobilística e da construção civil tendem a dominar a paisagem. “Quem domina a paisagem, domina o mundo”, é o que afirma o músico e pesquisador Marcelo…

25 de fevereiro de 2014 /

por Fred Lyra. No início de fevereiro, em uma jornada de estudos sobre a crítica musical no jazz, foram levantadas muitas questões sobre as atualidades deste estilo na França. Foi interessante observar uma discussão de dois dias sobre uma música essencialmente instrumental. Boa parte dos convidados era de ex-críticos que publicavam nas revistas mensais que aqui existem ou existiram. Todos oriundos de uma época talvez mais romântica e idealizada. Nostálgica. Com certeza, de um momento em que essa música se…

31 de janeiro de 2014 /

Conheci Alípio Carvalho Neto em um concerto seu na Livraria Cultura em 2006. Foi um dos primeiros contatos que tive com este tipo de música. Lembro-me que, o que mais me marcou, foi a intensidade e a urgência que aquele cara tocava. Havia muita energia. Seis anos depois, em 2012, Bruno Vitorino (Nebulosa Quinteto) nos comunica que Alípio estava vindo passar uma temporada em Recife e que iríamos fazer um concerto com a participação dele. Além da memória viva daquele…

10 de outubro de 2013 /

A banda Rua está permanentemente em estado migratório. A proposição estética sob o título do absurdo (2011) revelou, àquela altura, que a música pernambucana teria pela frente que empurrar uma pedra pesadíssima, aglutinada – como se fosse possível – por criação e crítica. As canções-pedras logo ganharam as suas primeiras gravações: trip hop, samba, experimentalismo, minimalismo. Cada nova audição será uma reinvenção desses e de outros rótulos. Rua está para a música como o artista está para a morte. A…

3 de outubro de 2013 /

Como músico, minha compreensão do verbo “improvisar” sempre esteve ligada ao domínio de uma técnica densa e sofisticada, requisito essencial para navegar territórios como o jazz. Ainda estudante de música, procurei a improvisação quando quis ir além da tarefa de seguir partituras e aperfeiçoar interpretações para tentar conquistar alguma liberdade em relação ao uso do meu instrumento. Mas minha carreira de improvisador teve um fim antes de começar, quando me dei conta de que repetir exaustivamente escalas e estudar progressões…

12 de maio de 2013 /

  Na próxima sexta-feira (17/05), os músicos Fred Lyra (guitarra) e Hugo Medeiros (bateria) encerram a temporada de cinco apresentações no Teatro Joaquim Cardozo (Recife/PE). O duo instrumental Mojav Duo contou com a participação de convidados de diferentes áreas artísticas em cada uma das edições. A última apresentação teve a presença do Grupo Totem, que neste ano comemora 25 anos, atuando principalmente com dança e teatro. A banda existe desde 2009, segundo Fred Lyra (que também faz parte da Nebulosa…

5 de agosto de 2014 /

O Movimento Armorial nunca foi, a priori, como outras variantes de nacionalismo, uma coisa que me interessasse muito. A música Armorial continua não me interessando tanto, apesar de admitir que acho a ideia boa. É um embrião que pode e vem sendo desenvolvido. Porém, depois de um ano casado com uma pesquisadora que estuda a fundo o tema e o seu personagem central, você termina aprendendo algo e tendo alguma ideia do que era esse agregado, essa verdade que envolvia…