Tag: política

14 de agosto de 2017 /

JUNTAR* O artista sem obras atua, em constante estudo e autodesignação, dentro de uma concepção de arte que tende a se perder quando extrapola seus limites, levando a preencher consigo mesmo nosso mundo. Trata-se de uma abordagem de arte, e de artista, que encara e manipula a tensão que engloba o trágico da vida cotidiana e suas potencialidades; que se…

Leia MaisPequeníssimo manual para sobreviventes artistas sem obras

19 de abril de 2017 /

CAMINHAR* A arte seria garantia de sanidade? Desculpe-me, madame Bourgeois, não estou certa disso. A vida, e a espécie humana herdeira de emanações interestelares, precede a arte. Pois, se a arte é via para bem-estar e alívio imediato, é também indício da existência limitada em que nos metemos. Parece simpática, e lógica, a ideia de que toda prática artística tenha…

Leia MaisPequeníssimo manual para sobreviventes artistas sem obras

1 de abril de 2017 /

Me pediram para escrever um ensaio para essa tão ilustre edição #12 da revista Outros Críticos, mas não qualquer ensaio, um texto que verse sobre a “arte” e|na|pela|pra “periferia”, uma vez que não poderia ter sido escrito por outra jornalista. Desejo então falar do meu lugar próprio, meu lugar de fala sem subterfúgios  ─ mesmo não estando em casa agora,…

Leia MaisRezo pelo dia em que “presídio” saia do vocabulário da periferia

21 de março de 2017 /

Boa noite pra quem chegou Boa noite pra quem vai chegar Peço licença ao senhor Dono desta casa pra poder entrar Alegria e gratidão de fazer parte desse espaço que faz um contraponto fundamental nos atuais dias de golpe da nossa nação. O que normalmente registro em palavras escritas está muito ligado ao meu movimento pessoal e ao meu momento…

Leia MaisA gente se encontra na rua

17 de março de 2017 /

A mais bela frase já pichada num muro é a seguinte: “Sous les pavés, la plage.” É como dizer: o mais belo plano do cinema é aquele do varal de roupas balançando no vento em Ordet, de Dreyer. Ou que a coisa mais linda feita com tintas foi a tela Sobre a cidade (1924), de Marc Chagall. Ou que nada,…

Leia MaisA beleza, essa coisa subversiva

14 de fevereiro de 2017 /

Eu pensei em propor um diálogo aberto com este texto; e, por isso, eu o entendo como uma continuidade de conversas que venho tendo com diversas pessoas e a possibilidade das reflexões serem desdobradas no futuro – inclusive, repensando pontos e abrindo a alma para recuar em alguma coisa dita. Contudo, como conversa que a gente pega pelo caminho, engata…

Leia MaisSomos um terreno permeado de

25 de janeiro de 2017 /

Nessa terceira e última escrita para os Outros Críticos faço um movimento de insistir em algumas questões levantadas em minha última coluna. A insistência aqui revela uma ação política de sustentar um diálogo até emergir algo diferente. As perguntas que me atravessam nesse momento continuam sendo mobilizadas pelo atual momento político, pelas relações que nele acontecem e por pensar como…

Leia MaisInxistência: descolonizar, reaprender a estar, insistindo

12 de janeiro de 2017 /

A última edição da revista Outros Críticos trouxe na seção “opinião” diferentes vozes sobre o tema-mote “A arte é a última esperança”; com ele buscamos refletir sobre as relações entre arte e política, criação, poéticas, trabalho coletivo, cooperação, ativismo, entre outras relações que podem transformar o espaço e as pessoas através do lugar que a arte ocupa na sociedade. Diante…

Leia Mais“Poesia como furadeira”: outras narrativas sobre arte e política

4 de janeiro de 2017 /

“a arte é o que resiste, ainda que não seja a única coisa que resiste”. (“o que é o ato de criação?”, giles deleuze) primeiro movimento — eu não gostaria de catalogar os artistas em “música política”, “canção crítica” ou mesmo me pôr num “tribunal” da crítica pra limitar e colocá-los sobre a mesma seara. mas em síntese, eu penso…

Leia Maismicronarrativas dos sons lá fora

6 de dezembro de 2016 /

Esse texto emerge de alguns acontecimentos que estão me atravessando nos últimos tempos: o atual momento político no Brasil, minhas vivencias no mestrado na UFBA, a experiência como espectadora do espetáculo “Resistir”. O que tange todas elas? O corpo como política. Uma discussão sobre repetição e sentido. E a resistência como movimento, atuando diante de um sentimento de mal estar.…

Leia MaisRESISTÊNCIA: corpo, repetição e sentido

9 de novembro de 2016 /

a arte é a última esperança – edição 12 – ano III – novembro de 2016 download gratuito aqui versão impressa aqui Expediente Edição: Carlos Gomes Projeto gráfico: Fernanda Maia Artista convidada: Mariana de Matos Jornalista responsável: Marina Suassuna (DRT 5556-PE) Textos: Carlos Gomes, Marina Suassuna e Karol Pacheco Fotografia: Camila van der Linden Colaboradores: Ana Lira, Romulo Fróes, Bruno…

Leia MaisOutros Críticos #12 – A arte é a última esperança

6 de outubro de 2016 /

Existe uma velha dualidade que paira como um espectro na nossa história, é a dualidade entre corpo e mente (que Platão entendia como o mundo sensível e mundo das ideias) que trouxe dos gregos para os cristãos a mensagem que o mundo que é apreendido pelos nossos sentidos é falso, sujo e enganador, ao contrário do mundo das ideias (posteriormente…

Leia MaisO que pode a arte?

26 de maio de 2015 /