Tag: conto

3 de novembro de 2016 /

O que existe do Outro Lado, se perguntava o homem barbudo, os pés descalços; o que existe do outro lado da persiana? *             O homem descalço – a partir daqui, seu nome é Bob – arrastava, em suas andanças pela cidade, seus únicos pertences: dois lençóis grossos, uma mochila rasgada com roupas, um sacolão cheio de latas. Sua companhia…

Leia MaisDesaparecido

4 de agosto de 2016 /

as palavras pesam tanto quanto as personagens que transitam por essa cidade em nervos. os olhos se viram, cabeças erguidas espiam as cidades. wroclai é som longínquo, ruidoso, se mantém em loop. o trator de paulinho do amparo é feito de metal e carne. está cada vez mais visível a nossa vida subterrânea. os corpos em trânsito estão travando felizes…

Leia MaisWroclai, Everardo Norões

9 de outubro de 2013 /

O comerciante, a esposa, o pintor e sua amante Enquanto guarda os seus pincéis, o pintor observa os gestos abruptos do casal. A pose que ostentaram há pouco parece ter se perdido numa espécie de lembrança mais nebulosa do que as suas pinceladas sobre o carvalho. Tem sede. O Sr. Giovanni faz menção a um criado que acaba de entrar,…

Leia MaisEstórias Roubadas #7

7 de agosto de 2013 /

 MOENDA Os dois homens se olham, o coração dos dois acelerados. São corações irmãos, de dor e de sangue. O som ao redor é feito de um silêncio atravessado de ruídos. O velho demora um pouco a entender. Talvez sua inteligência, que sempre foi matreira e perversa, tenha se tornado mais lenta. O olhar oscila entre um e outro dos…

Leia MaisEstórias roubadas #6

3 de julho de 2013 /

TRÊS DIAS Era simples o hábito. Todo dia, à meia-noite, acordava, levantava-se cuidadosamente e, em silêncio, deixava a esposa dormindo no quarto. Passava pela porta entreaberta dos filhos e seguia para a pequena biblioteca contígua à sala. Conseguira esticar parte da sala e transformá-la em biblioteca na última reforma, dois anos atrás. Os livros todos finalmente ganharam mais espaço, passaram…

Leia MaisEstórias Roubadas #5

11 de junho de 2013 /

O MESMO NOME O menino correu para ver o que juntava aquele povo todo. Teve que se esgueirar entre corpos maiores, como é costumeiro aos pequenos mordidos de curiosidade. Havia gente pra todo lado. Nas janelas, nas portas das casas. A maioria do povo nas pontas dos pés, as cabeças como alfinetes enfiados no fato recém acontecido. Ele conseguiu após…

Leia MaisEstórias Roubadas #4

4 de abril de 2013 /

DEDICATÓRIA O calor louco atravessava paredes e se jogava sobre a pele, pegajoso. Ele pensou em sondá-la sobre o que exatamente a cabeça dela martelava. E martelava. Alguns meses juntos. Não significava nada. Ou melhor, significava muito. O avô dizia que, às vezes, se conhece alguém pra vida toda em poucos dias. Pena ter ignorado isso anos atrás, pena ter…

Leia MaisEstórias roubadas #3

5 de março de 2013 /

UM CHAMADO Pensou que a tinham chamado. Talvez fosse a sua tia idosa, instalada no quarto dos fundos. Desde que a doença metera a velha numa cadeira de rodas, ela a solicitava constantemente. Sabia que, na maioria das vezes, não era uma real urgência que motivava seus pedidos, mas a necessidade de conversar, simplesmente ouvir e ser ouvida. Sua paciência…

Leia MaisEstórias roubadas #2