Sambador, Helder Vasconcelos

sambador é uma outra linha de invenção na poética de helder vasconcelos. culmina agora em canções o que anteriormente o corpo falava com maior intensidade. sua expressão artística está continuamente em movimento: música, dança, tecnologias, máscaras, grupos, bandas; solo. os gêneros musicais, instrumentação, arranjos e letras se entrelaçam, ou se comunicam, como brincadeiras. “butterfly” é uma peça que chacoalha e dança, faz dançar. estranha, nessa língua, desconcerta, com seu sotaque, expande esse ser-sambador para muitos outros lugares (c.g.)

Sambador (2016), Helder Vasconcelos.

01. Barco Encheu (Helder Vasconcelos)
02. Dor (Helder Vasconcelos)
03. Butterfly (Helder Vasconcelos)
04. Leve e Traga (Helder Vasconcelos)
05. Emaranhado (Helder Vasconcelos) Part. Renata Rosa
06. Caminho da Venda (Helder Vasconcelos)
07. Andar Irei (Helder Vasconcelos)
08. Sambador (Helder Vasconcelos)

Direção e concepção: Helder Vasconcelos
Produção: Helder Vasconcelos, Marco França e Johann Brehmer
Projeto Gráfico: Guilherme Luigi e Mayara Bione
Fotografia: Ricardo Moura
Produção Executiva: Terreiro Produções por Laura Tamiana

Share Button

Desde 2008 atuam desenvolvendo projetos de crítica cultural na internet e em Pernambuco. Produziram livros e publicações, como a revista Outros Críticos, além de coletâneas musicais e debates, como os do festival Outros Críticos Convidam.

Seja o primeiro a comentar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *