Categoria: Coluna

30 de março de 2013 /

Há um indivíduo soturno e sorumbático que ronda botecos e casas de shows má afamadas na cidade do Recife. É um estranho híbrido que mescla smurf ranzinza, Rob Fleming (o dono da loja de discos de Alta Fidelidade) e o Pateta de Walt Disney. Apesar de gostar de Matheus Mota e Ex-Exus, ele se sente excluído quando o jornalista Silvio…

Leia MaisAzia e Cena Indie(gesta) em Recife

26 de março de 2013 /

Com o cancelamento do Sónar, anunciado na segunda-feira da semana passada, alegando a “instabilidade do mercado de entretenimento” brasileiro, voltamos para um debate que há algum tempo vem tomando corpo dentro da produção cultural no país: a (possível) crise do mercado. Será que estamos caminhando para uma saturação do ramo de eventos musicais no Brasil? Será que a bolha do…

Leia MaisEstouramos a bolha?

18 de março de 2013 /

Paperbag é uma série de entrevistas que omite a real identidade dos entrevistados para que o leitor se atenha – em primeira instância – ao conteúdo das respostas sem associá-las diretamente a alguma pessoa ou contexto, com isso cada entrevistado é convidado a escolher seu próprio codinome e algumas palavras são suprimidas. Todo mês entrevistaremos uma personalidade pública de relativa…

Leia MaisPAPERBAG #1 com REGINA PHALANGE

5 de março de 2013 /

UM CHAMADO Pensou que a tinham chamado. Talvez fosse a sua tia idosa, instalada no quarto dos fundos. Desde que a doença metera a velha numa cadeira de rodas, ela a solicitava constantemente. Sabia que, na maioria das vezes, não era uma real urgência que motivava seus pedidos, mas a necessidade de conversar, simplesmente ouvir e ser ouvida. Sua paciência…

Leia MaisEstórias roubadas #2

4 de março de 2013 /

Esse personagem estranho do mundo da música não recebe os holofotes da crítica especializada ou da academia. Talvez, isso seja perpassado pelo aspecto negativo que muitos têm diante dessa figura. Para provar isso, podemos até citar o pesquisador e crítico musical inglês, Simon Reynolds, que no seu livro Retromania (2011) afirma que, para ele, os colecionadores eram apenas “loucos que…

Leia MaisO colecionador de discos

3 de março de 2013 /

o fazimento dessa escritura não deve ser científica, rígida (já que o seu objeto de estudo/análise se localiza, cartograficamente, no campo da arte). uma escritura que dialogue com seu objeto, que perpasse as sensações e pulsões da obra; que não tente conter ou catalogar desejos, mas que lhes empreste corpo, que lhes proporcione adensamento dar corpo musical-crítico é adentrar, habitar…

Leia Maisa crítica como prática neobarroca

28 de fevereiro de 2013 /

Diálogos é uma série de conversas realizadas com personalidades pensantes. O texto de abertura é um papo que eu tive com o artista plástico, músico e designer, Daaniel Araújo. A ideia central do projeto é subverter os posicionamentos estabelecidos nas entrevistas usuais, em que o entrevistador faz as perguntas, mas não responde, e em que o entrevistado responde às perguntas…

Leia MaisDiálogo I com Daaniel Araújo: para ser um artista revolucionário é preciso deixar de ser artista?

18 de fevereiro de 2013 /

Vivemos em um período bem interessante para quem possui uma banda. Os recursos para gravar, editar, mixar e masterizar um disco estão bem mais que acessíveis. As plataformas para divulgação são as mais diversas possíveis, basicamente todas gratuitas. Para formar e manter contato com um público cativo, as redes sociais são uma mão na roda. Um cenário quase perfeito para…

Leia MaisLeitmotiven

8 de fevereiro de 2013 /

Quem é você? Sou Leonardo Vila Nova, recifense, filho de Tereza Cristina e Almir Vila Nova. Sou jornalista por formação acadêmica, músico e poeta por amor e caminho inevitável da vida e vagabundo nas horas vagas. Um autêntico aquariano, com o ascendente em Leão e a Lua em Áries, uma combinação um tanto quanto difícil de lidar, bem indomável (risos).…

Leia MaisGlauco César II entrevista Leonardo Vila Nova

7 de fevereiro de 2013 /

AS MANHÃS, OS INÍCIOS Quando acordou, o dinossauro ainda estava lá. Achou natural que o grande réptil se esforçasse para manter o corpo enorme e escamoso dentro do cubículo que chamava de quarto. O grande pescoço dava quase uma volta inteira no cômodo, e a grande cabeça, quase do tamanho de uma cadeira, estava pousada sobre a escrivaninha velha que…

Leia MaisEstórias roubadas #1

6 de fevereiro de 2013 /

Quando penso numa banda de La Plata, e penso em muitas, imediatamente imagino o cenário de El bosque pulenta, conto de Fabián Casas, com uma rapaziada circulando por Buenos Aires, família meio ausente, a amizade como fonte de formação para toda uma geração de argentinos. “Se trata de dos chicos que salen a la vez por las puertas traseras del mismo…

Leia MaisAmizade, esse bosque rock e pulenta

5 de fevereiro de 2013 /

(o caixão está vazio) o famoso pós-moderno não é um conceito tão bem explicado como costumam pregar nos círculos intelectuais e semi-intelectuais. o mais comum de se ouvir e ler é que o pós-moderno não acredita na crítica (já que o fato não existe mais a análise se torna obsoleta) não se trata (quando falamos sobre a morte do fato)…

Leia MaisDa Crítica Musical como Ponte Poética I