Categoria: Artigo

21 de fevereiro de 2013 /

Entendemos por cadeia produtiva o conjunto de agentes que fazem parte de um determinado filão relacionados a um produto cultural de consumo (NOGUEIRA, 2008). Sua composição clássica é dividida entre esferas de produção, circulação e consumo (JAMBEIRO, 1975) e, de costume, representada por exemplos de maior força, como, por exemplo, as gravadoras multinacionais (Warner, Sony, EMI, Universal) para o campo…

Leia MaisOs blogs e a cadeia produtiva da música

18 de fevereiro de 2013 /

Vivemos em um período bem interessante para quem possui uma banda. Os recursos para gravar, editar, mixar e masterizar um disco estão bem mais que acessíveis. As plataformas para divulgação são as mais diversas possíveis, basicamente todas gratuitas. Para formar e manter contato com um público cativo, as redes sociais são uma mão na roda. Um cenário quase perfeito para…

Leia MaisLeitmotiven

15 de fevereiro de 2013 /

Tendo a Bossa Nova (BN) se caracterizado como um movimento musical voltado contra o “estrelismo” e contra o culto do “solista”, desenvolveria, por outro lado, o sentido do trabalho de equipe. Se anteriormente, numa gravação, o importante era o “cantor” — sua foto, seu nome e seus gemidos… —, sendo todos os trabalhos restantes entregues à rotina mais impessoal, após…

Leia MaisDiscografia e Novas Gráficas

14 de fevereiro de 2013 /

Igor Stravinsky (1882-1971), por uma daquelas coincidências ou acasos que ocorrem na história da humanidade, faz um paralelo entre os compositores da Tropicália, os elementos de bricolagem ou como ele próprio chama, pastiche, e a habilidade em lidar com ritmos, mexendo na ordem e com a ortodoxia rítmica da época, com a mesma ousadia das características do movimento tropicalista. A…

Leia MaisO contraponto em Stravinsky

5 de fevereiro de 2013 /

(o caixão está vazio) o famoso pós-moderno não é um conceito tão bem explicado como costumam pregar nos círculos intelectuais e semi-intelectuais. o mais comum de se ouvir e ler é que o pós-moderno não acredita na crítica (já que o fato não existe mais a análise se torna obsoleta) não se trata (quando falamos sobre a morte do fato)…

Leia MaisDa Crítica Musical como Ponte Poética I

21 de janeiro de 2013 /

Em junho de 1972, no período pós-tropicalista, quando Caetano Veloso havia acabado de retornar ao Brasil depois do exílio em Londres, o músico escreveu: “O tropicalismo foi uma árvore de mil frutos. Digo isso sem orgulho, sem remorso. Os frutos pecos e podres se espalharam pelo chão e ninguém melhor instalado para sentir-lhes os fuçadores de raízes”. O manguebeat e…

Leia MaisÁrvore de mil frutos

20 de janeiro de 2013 /

  “A crítica e a criação podem andar juntas” [1] (Lourival Holanda)   A vontade de organizar em livro[2] os ensaios que Ricardo Maia Jr. escreveu durante seis meses no blogue Outros Críticos, nasceu não pela escrita, mas pela oralidade do debate. Refiro-me ao primeiro encontro do projeto “Outros Críticos convidam”, que tinha como tema: “Retoques da Tradição na Canção…

Leia MaisCrítica de boteco

3 de janeiro de 2013 /

“O fato é que cada escritor cria seus precursores. Seu trabalho modifica nossa concepção do passado, como há de modificar o futuro.” (Jorge Luis Borges)   A canção “A Bossa Nova é foda”, que abre o novo disco de Caetano Veloso com a BandaCê, Abraçaço (2012), formando uma trilogia com os álbuns Cê (2006) e Zii e Zie (2009), retoma…

Leia MaisCaetano e seus precursores