Outros Críticos Publicações

14 de setembro de 2018 /

O projeto de crítica cultural Outros Críticos, idealizado pelo editor Carlos Gomes e a designer Fernanda Maia, completa 10 anos de atividades em 2018. Para comemorar essa data, lançaremos em setembro o livro O outro é uma queda (Vários Autores, Outros Críticos, 2018, R$ 35,00, p. 240), que reúne textos inéditos de Fabiana Moraes, Bernardo Oliveira, Carol Almeida, Priscilla Campos,…

Leia MaisOutros Críticos 10 anos

20 de março de 2018 /

Foto de capa: Priscilla Buhr. Da esq. para dir. Beatriz Melo, Mabuse, Paulo Marcondes, Fernanda Maia, Carlos Gomes e Jomard Muniz de Britto. Na MauMau Galeria. Reconhecidamente distintos, Tropicalismo e Manguebeat apresentam pontos em comum em suas trajetórias na história da música brasileira. É o que apresenta o pesquisador e editor do Outros Críticos, Carlos Gomes, em seu novo livro…

Leia MaisCanções iluminadas de sol

19 de março de 2018 /

Imagem de capa: Na rede de crianças autistas formada pelo poeta e etólogo francês Fernand Deligny, a comunicação verbal era substituída por ferramentas visuais como desenho de mapas, fotos e filmes. Uma forma de registrar e interpretar os gestos e divagações dessas crianças. Grafismos como este, indicavam por linhas a movimentação dos corpos das crianças autistas e dos adultos presentes,…

Leia MaisPequeníssimo Manual Para Sobreviventes Artistas Sem Obras

6 de março de 2018 /

Foto de capa: Turunas da Mauricéia. Anúncio no Correio da Manhã (RJ), 06 de fevereiro de 1927. O período compreendido entre 1927 e o início da década de 1930 é certamente um dos mais complexos e decisivos para a história da música brasileira registrada em discos. É um momento marcado pela aposta da indústria cultural na absorção e divulgação de…

Leia MaisPor uma discografia nordestina: 1927

24 de fevereiro de 2018 /

Se entendemos, como foi colocado anteriormente, que uma das grandes armadilhas da modernidade se fundamenta na dualidade corpo-mente (primeira justificativa para uma sucessão de atrocidades, que se inicia com a escravidão dos povos do continente africano e as chacinas  nas Américas, se consolida na eficiência tecnicista-genocida do nazismo e permanece ainda hoje em muitos aspectos na exploração neoliberal mundo afora),…

Leia MaisO que pode o corpo [parte II]

5 de fevereiro de 2018 /

A 8ª edição do Porto Musical ocorreu no bairro do Recife, em Recife-PE, de 1 a 3 de fevereiro, com seminários, conferências, oficinas, debates, rodadas de negócio e apresentações musicais nos espaços do Teatro Apolo, Hermilo Borba Filho, Paço do Frevo e Praça do Arsenal “Tocar, tocar, tocar.”, Kiko Dinucci na conferência CONTRAPORTO: Mainstream pra quê? Durante os três dias…

Leia MaisContragolpe, contraporto

25 de janeiro de 2018 /

Apresento agora meu último texto desta série voltada à reflexão dos encontros. No primeiro, apresentei o espaço onde esses encontros podem e precisam acontecer: a rua. No segundo, mostrei uma forma: a pulsação. Aquilo que antecede o ritmo, os passos e que faz parte da nossa natureza humana. Agora trago o desafio maior, que é falar do encontro fundamental: o…

Leia MaisA Gente Se Encontra na Gente Mesmo

23 de outubro de 2017 /

No último sábado, o festival No Ar Coquetel Molotov recebeu uma série de artistas e ações nos palcos e espaços montados no Caxangá Golf & Country Club, no Recife. O festival continua com novas atrações entre os dias 25 e 28 de outubro na cidade de Belo Jardim. 1. corpos cercados num território de invenção; como circo fábula ou ficção…

Leia Maisno corpo na boca no ar

11 de outubro de 2017 /

O espetáculo “Dorinha, Meu Amor – um musical de humor e drama para teatros e cabarés” está em cartaz no Teatro Arraial Ariano Suassuna durante as quintas-feiras de outubro, mas já com ingressos esgotados. Estão em cena a cantora, compositora e atriz Isadora Melo, Juliano Holanda (Guitarra) e Rafael Marques (Bandolim). O espetáculo é uma criação de João Falcão, com…

Leia MaisDorinha, meu amor – alguém que virá

25 de setembro de 2017 /

São inúmeros os pesares sobre a falta de diálogo entre a música produzida no Brasil e dos outros países da América Latina. Mesmo havendo ao longo dos anos vários exemplos de trocas entre artistas e produtores, há uma sensação, pelo menos de minha parte, que essa troca pudesse ser mais numerosa. No Recife, o Festival Rec-beat é quem tem programaticamente…

Leia MaisModos de cambiar afetos

8 de setembro de 2017 /

A turnê brasileira do disco Ape in Pink Marble, de Devendra Banhart, passou pelo Recife em sete de setembro, no espaço Catamarã, e segue para Salvador (8), São Paulo (12), Curitiba (13), BH (10) e Porto Alegre (14). A turnê acontece com shows produzidos pelo Popload Gig e pela plataforma Queremos. 1. devendra ouviu tom zé no corpo e no…

Leia MaisDevendra e as suas línguas expostas

29 de agosto de 2017 /

No centro do quadro, largado em cima de um sofá velho empurrado num canto de uma sala escura com paredes mal acabadas, Juninho lê em voz alta uma carta escrita por ele: “caro Cezinha filho da puta, você tá ligado que você é um cara muito importante pra nós e eu também quero te dizer que você é um cara…

Leia MaisOs decibéis da nossa dor

28 de agosto de 2017 /

Antonio Cícero agora é acadêmico. Será bom? Não importa. Bom é o poema Desejo: Só o desejo não passa
 e só deseja o que passa
 e passo meu tempo inteiro 
enfrentando um só problema:
 ao menos no meu poema
 agarrar o passageiro. Corta. Exterior. Dia. A missa de despedida de Michel de Certeau foi comovente, na fria manhã de inverno…

Leia MaisDerivem, babies. E leiam Michel de Certeau