Outros Críticos Publicações

12 de agosto de 2016 /

“Music mix the bourgeoisie and the rebel”. (Madonna) Saudações multicolores! Inicio esta contribuição a OUTROS CRÍTICOS como uma homenagem a seu universo inicial: a Música! Parabenizo inclusive a crescente intenção da plataforma em dialogar mais fortemente com outras “linguagens” artísticas! Neste sentido, aproveito para, previamente e a título de “choro de pitanga”, reclamar de que nunca tive aulas de Música…

Leia MaisO Som, a Fúria e o Som da Fúria: Uma Iconoclastia Musical?

4 de agosto de 2016 /

Para Nina Entre 1982-1986, eu morei em Berlim. Ao menos, foi o que as pessoas sempre me disseram. Não tenho, no entanto, nenhuma lembrança disto. Minhas recordações da cidade e da Alemanha são todas emprestadas. Suponho, porém, que a não ser que eu esteja envolvido em alguma conspiração maligna (existe conspiração benigna?), este dado biográfico seja verdadeiro. Meus pais e…

Leia MaisO muro

4 de agosto de 2016 /

a sedução-lâmina das imagens de p. buhr encontraram força equivalente na encarnação selvática que k. buhr exprimiu. o rio recebeu esse corte. suas canções, seu corpo, sua voz, como quem recebe a água da natureza e a sujeira da cidade. antes das canções, circularam as imagens, com elas, a violência cotidiana e repressora da sociedade ficou exposta. mas como se…

Leia MaisSelvática, Priscilla Buhr

4 de agosto de 2016 /

sambador é uma outra linha de invenção na poética de helder vasconcelos. culmina agora em canções o que anteriormente o corpo falava com maior intensidade. sua expressão artística está continuamente em movimento: música, dança, tecnologias, máscaras, grupos, bandas; solo. os gêneros musicais, instrumentação, arranjos e letras se entrelaçam, ou se comunicam, como brincadeiras. “butterfly” é uma peça que chacoalha e…

Leia MaisSambador, Helder Vasconcelos

4 de agosto de 2016 /

I Cinelândia, Rio de Janeiro, A Mulher do Fim do Mundo. Em meio a uma multidão que protestava contra as pautas retrógradas do parlamento brasileiro, especificamente nos projetos de lei que dificultam o atendimento às mulheres que sofreram estupro ou abuso sexual e na restrição ao uso da pílula do dia seguinte, os versos de uma canção que dão nome…

Leia MaisMeu mundo é hoje

4 de agosto de 2016 /

“eita, foi quase” e a ladainha que vaza. a balbúrdia que atravessa a janela com seu rastro mínimo. o centro e suas paisagens que escapam para dentro do poema. a voz de quem canta a poesia de miró da muribeca em outro tom. o corpo está concentrado e seu corte é rápido. miró desaparece. fica a poesia. miró reaparece. miró…

Leia MaisMiró da Muribeca por Edf. Texas e Grupo Magiluth

4 de agosto de 2016 /

as palavras pesam tanto quanto as personagens que transitam por essa cidade em nervos. os olhos se viram, cabeças erguidas espiam as cidades. wroclai é som longínquo, ruidoso, se mantém em loop. o trator de paulinho do amparo é feito de metal e carne. está cada vez mais visível a nossa vida subterrânea. os corpos em trânsito estão travando felizes…

Leia MaisWroclai, Everardo Norões

4 de agosto de 2016 /

a escrita de rodrigo campos sobre suas próprias canções alarga a experiência da escuta e compreensão da obra para espaços que frequentemente são mais nebulosos ou mesmo íntimos, reclusos no lugar em que habita o processo de criação do artista, ou mesmo dos outros músicos que dialogam com ele. esse movimento reflexivo desdobra numa outra linguagem (a escrita) o ímpeto…

Leia MaisConversas com Toshiro, Rodrigo Campos

4 de agosto de 2016 /

a dicção permanece em marcha circulando entre os temas ordinários que são suas canções. a sua fala-canto é essa dicção extra-ordinária, pois entre a voz, o piano e o texto, o mal-dito se torna visível a olhos nus. como o ordinário continuamente se desloca por sua dicção, é possível que suas composições continuem invisíveis para olhos menos acostumados aos mal-ditos.…

Leia MaisBakery People, Glauco César Segundo

4 de agosto de 2016 /

A palavra na música de Lira é mais pesada que o som. Por peso, não quero dizer que o som seja de alguma forma negligenciado ou que só exista em função desta palavra deformada, transformada, desviada da rota, em suma, como poesia. Se as primeiras histórias sobre José Paes de Lira são todas carregadas pela força da oralidade, performance e…

Leia MaisO peso da palavra, do declamador ao cantor

3 de julho de 2016 /

Bem que poderia ser um cigarro Hollywood, aquele branquinho que pedi a você assim que sentamos no chão, no backstage do Rec-Beat, para conversar. A tarde tinha acabado de começar e você havia acabado de sair da passagem de som. Estávamos lá, ao invés das ladeiras e suores e amores de Olinda, numa segunda-feira de Carnaval. Nós, a banda e…

Leia MaisSugar Darling,

3 de julho de 2016 /

De Feira de Santana para o palco do Rec-Beat, o canto de Russo Passapusso já ecoou de maneiras distintas. Em 2011, a primeira vez do baiano no Recife foi carregada de timbres e frequências graves. Tratava-se de seu trabalho à frente do Baiana System, que ressignificava matrizes de samba com matrizes de reggae, atreladas à cultura do bemba style, música…

Leia MaisDe crença, paraíso, canção, saravá!

1 de julho de 2016 /

por Rodrigo Édipo e Igor Marques. não lembro bem, mas acho que foi na unitop que varlos me falou pela primeira vez sobre esse esquema do recbeat. nesse dia ele também falou de mais uns 300 projetos e me apresentou um planejamento do otros críticos pra 2035 e um contrato pra eu assinar. como de costume, falei que estaria ocupado…

Leia Maismemria memória