Outros Críticos Publicações

27 de setembro de 2016 /

Kitsch. Clement Greenberg preconizava que esta pequena palavra imbuída de significados desastrosos para a sensibilidade humana se alastraria pela Cultura com o aprofundamento da sociedade de consumo de massa. De fato. O domínio do tacanho com aparência de sublime, do eterno deslocamento ante a autenticidade e o conteúdo, alimentado pela sistemática industrial da produção em série de objetos padronizados, amparado…

Leia MaisA narrativa de uma jornada

26 de setembro de 2016 /

“Chama eterna de um minuto”: paráfrase do amor “infinito enquanto dure”, imagem expressiva do estado de permanência e movimento que caracteriza algumas “incertas” que, volta e meia, acometem a música brasileira. Como em toda incerta, chega sem aviso; eterna enquanto dura, a incerta desconcerta pela ausência de uma filiação evidente ou de uma temporalidade referencial que permita sua inserção imediata…

Leia MaisChama incerta de um minuto

22 de setembro de 2016 /

Se um dia a música pôde ser reproduzida e distribuída em grande escala foi graças às tecnologias que permitiram a sua materialização em fonograma e posteriormente em disco. Fruto da conjunção entre a produção dos artistas e as possibilidades de tecnologias, o disco transformou a circulação da música no mundo e a maneira como ela chegava ao público. Ao longo…

Leia MaisA sensibilidade pelo disco físico ainda reverbera

13 de setembro de 2016 /

Um convite para escrever como colunista no site Outros Críticos. Um encontro. Assim, uma ideia de dança me veio como proposta de escrita. Um dos meus interesses de investigação em dança atualmente é a improvisação como prática, como exercício, para a composição cênica. Entendendo cênico aquilo se apresenta ao outro, com fins estéticos, como esse texto. Na dança, um dos…

Leia MaisUma travessia, em terreno móvel e perigoso, de um corpo no devir

6 de setembro de 2016 /

Nos últimos 20 anos, entre Baile perfumado (1996) e Aquarius (2016), diferentes teorias têm surgido para tentar explicar o êxito do cinema pernambucano nos maiores festivais de cinema nacionais e internacionais. Mesmo que os filmes produzidos no estado ainda não tenham alcançado um sucesso absoluto nas bilheterias, é inegável a contribuição estética e a originalidade das obras, respaldas pela crítica…

Leia MaisMitos e hipóteses sobre filmes de um centro periférico

28 de agosto de 2016 /

tecnologias e sensibilidades – edição 11 – ano III – agosto de 2016 download gratuito aqui versão impressa aqui Expediente Edição: Carlos Gomes Projeto gráfico: Fernanda Maia Artista convidado: Paulo Bruscky Jornalista responsável: Marina Suassuna (DRT 5556-PE) Textos: Carlos Gomes, Marina Suassuna e Karol Pacheco Fotografia: Camila van der Linden Colaboradores: H. d. Mabuse, Rafael de Queiroz, Bruno Vitorino, Bernardo…

Leia MaisOutros Críticos #11 – Tecnologias e sensibilidades

12 de agosto de 2016 /

“Music mix the bourgeoisie and the rebel”. (Madonna) Saudações multicolores! Inicio esta contribuição a OUTROS CRÍTICOS como uma homenagem a seu universo inicial: a Música! Parabenizo inclusive a crescente intenção da plataforma em dialogar mais fortemente com outras “linguagens” artísticas! Neste sentido, aproveito para, previamente e a título de “choro de pitanga”, reclamar de que nunca tive aulas de Música…

Leia MaisO Som, a Fúria e o Som da Fúria: Uma Iconoclastia Musical?

4 de agosto de 2016 /

Para Nina Entre 1982-1986, eu morei em Berlim. Ao menos, foi o que as pessoas sempre me disseram. Não tenho, no entanto, nenhuma lembrança disto. Minhas recordações da cidade e da Alemanha são todas emprestadas. Suponho, porém, que a não ser que eu esteja envolvido em alguma conspiração maligna (existe conspiração benigna?), este dado biográfico seja verdadeiro. Meus pais e…

Leia MaisO muro

4 de agosto de 2016 /

a sedução-lâmina das imagens de p. buhr encontraram força equivalente na encarnação selvática que k. buhr exprimiu. o rio recebeu esse corte. suas canções, seu corpo, sua voz, como quem recebe a água da natureza e a sujeira da cidade. antes das canções, circularam as imagens, com elas, a violência cotidiana e repressora da sociedade ficou exposta. mas como se…

Leia MaisSelvática, Priscilla Buhr

4 de agosto de 2016 /

sambador é uma outra linha de invenção na poética de helder vasconcelos. culmina agora em canções o que anteriormente o corpo falava com maior intensidade. sua expressão artística está continuamente em movimento: música, dança, tecnologias, máscaras, grupos, bandas; solo. os gêneros musicais, instrumentação, arranjos e letras se entrelaçam, ou se comunicam, como brincadeiras. “butterfly” é uma peça que chacoalha e…

Leia MaisSambador, Helder Vasconcelos

4 de agosto de 2016 /

I Cinelândia, Rio de Janeiro, A Mulher do Fim do Mundo. Em meio a uma multidão que protestava contra as pautas retrógradas do parlamento brasileiro, especificamente nos projetos de lei que dificultam o atendimento às mulheres que sofreram estupro ou abuso sexual e na restrição ao uso da pílula do dia seguinte, os versos de uma canção que dão nome…

Leia MaisMeu mundo é hoje

4 de agosto de 2016 /

“eita, foi quase” e a ladainha que vaza. a balbúrdia que atravessa a janela com seu rastro mínimo. o centro e suas paisagens que escapam para dentro do poema. a voz de quem canta a poesia de miró da muribeca em outro tom. o corpo está concentrado e seu corte é rápido. miró desaparece. fica a poesia. miró reaparece. miró…

Leia MaisMiró da Muribeca por Edf. Texas e Grupo Magiluth

4 de agosto de 2016 /

as palavras pesam tanto quanto as personagens que transitam por essa cidade em nervos. os olhos se viram, cabeças erguidas espiam as cidades. wroclai é som longínquo, ruidoso, se mantém em loop. o trator de paulinho do amparo é feito de metal e carne. está cada vez mais visível a nossa vida subterrânea. os corpos em trânsito estão travando felizes…

Leia MaisWroclai, Everardo Norões